Início Notícias Servidores pelo Brasil: Fantástico retrata crise financeira de estados brasileiros e parcelamento...

Servidores pelo Brasil: Fantástico retrata crise financeira de estados brasileiros e parcelamento de salário de servidores

7

No domingo (11), o programa Fantástico, da Rede Globo, retratou a crise financeira que muitos estados brasileiros têm enfrentado.

No Rio Grande do Sul, este é o 10º mês seguido em que os servidores recebem o salário parcelado.

Esta semana, o governo de Minas Gerais decretou calamidade financeira no estado. Algo semelhante tinha acontecido no Estado do Rio, em junho, quando o governo decretou estado de calamidade pública.

Há duas semanas, protestos aconteceram no Rio Grande do Sul. O governo anunciou um projeto para conter a crise financeira que, entre outras medidas, prevê a demissão de 1.200 servidores públicos.

Nesses dias de salários parcelados, os servidores públicos no Rio Grande do Sul passaram a atrasar o pagamento de várias contas. Despesas de luz, telefone, água, IPTU e até condomínio.

Segundo a Secretaria de Fazenda do estado, em outubro, o Rio Grande do Sul teve uma receita líquida de R$ 2,311 bilhões. Mas a despesa do mês é de R$ 3,43 bilhões. A conta não fecha.

Os servidores gaúchos ainda convivem com o risco de não receber o 13º salário em dia e o governo não sabe como vai pagar.

Esta semana, o governo federal fechou acordo com os governadores para destinar parte da multa de repatriação do dinheiro não declarado no exterior para ajudar as contas dos estados. A ajuda é bem-vinda, mas não vai ser suficiente.

No Brasil, oito estados e o Distrito Federal já parcelaram salários ou estão com o 13º ameaçado.

O governo do Rio Grande do Norte informou que ainda não tem recursos para pagar o décimo terceiro dos servidores. No Rio de Janeiro, a Secretaria de Fazenda também admitiu que não há uma data para o depósito do benefício de 2016.

Fonte: Globo

Artigo anteriorSindicato responde: Como funciona a acumulação de cargos no magistério?
Próximo artigoSindicato Responde: Magistério | Posso ampliar ou diminuir minha carga horária?