Início Notícias Plano de saúde: Sindicato garante continuidade do contrato e redução da mensalidade

Plano de saúde: Sindicato garante continuidade do contrato e redução da mensalidade

5

O Sindicato do Servidor Público Municipal de Taubaté conquistou, na justiça, a permanência do contrato com a operadora Policlin Saúde, além da redução da mensalidade.

GARANTIA DA PERMANÊNCIA DO CONTRATO

Em fevereiro de 2017, a Policlin Saúde enviou ao Sindicato a rescisão contratual unilateral. Ou seja, todos os servidores que utilizam esse plano ficariam sem cobertura.

Diante dessa situação, o Sindicato ingressou na justiça e conquistou uma liminar garantindo a continuidade do contrato e da prestação de serviço. Essa conquista foi muito importante, porque muitos servidores estavam com cirurgias marcadas, partos agendados, além de todo atendimento de rotina.

Em agosto, garantimos judicialmente que a operadora Policlin Saúde continuará com o contrato entre Sindicato e plano de saúde, sem qualquer prejuízo aos funcionários e ao atendimento.

REDUÇÃO DO PREÇO

No mês do aniversário do contrato, a Policlin Saúde enviou um reajuste abusivo ao Sindicato, calculado com base na sinistralidade, ou seja, na quantidade de utilização. Novamente a entidade acionou a justiça, deixando a cargo do Judiciário definir o reajuste do plano de saúde dos funcionários municipais.

O Sindicato conquistou, além da permanência do contrato, uma redução na mensalidade dos servidores e também na tabela dos dependentes que passa a valer a partir do pagamento de setembro.

Seguem novos valores:

 

                         Salário do servidor                                   Valor do plano
Até R$ 1.787,10 R$ 81,20
de R$ 1.787,11 até R$ 3.574,10 R$ 158,20
de R$ 3.574,11 até R$ 5.956,85 R$ 210,20
Acima de R$ 5.956,86 R$ 339,20

 

Valor dos dependentes:

 

Idade Valor do plano
0 a 18 R$ 159,00
19 a 23 R$ 179,00
24 a 28 R$ 281,60
29 a 33 R$ 313,60
34 a 38 R$ 339,20
39 a 43 R$ 377,60
44 a 48 R$ 377,60
49 a 53 R$ 422,40
54 a 58 R$ 448,00
acima 59 R$ 448,00
Artigo anteriorCrime de desacato: dilema entre liberdade de expressão e ofensa
Próximo artigoPresidente da Câmara dos Deputados defende fim da estabilidade do setor público