Início Notícias Cobrança de Plano de Saúde através do preço médio beneficia todos os...

Cobrança de Plano de Saúde através do preço médio beneficia todos os servidores inclusive os mais velhos e os que ganham menores salários

6

A cobrança do plano médico no contrato do Sindicato do Servidor Público Municipal de Taubaté visa o interesse coletivo e vem trazendo muitos benefícios para a categoria, principalmente para os servidores com mais idade e os que recebem salários menores.

Hoje, um servidor com idade acima de 59 anos, por exemplo, paga no plano Unimed através do Sindicato R$ 84,11 e na Policlin R$ R$ 100,20. Este valor corresponde a 10% do que eles pagariam de plano de saúde, se comparado aos valores praticados no mercado. Além disso, teriam dificuldade em encontrar uma operadora que aceitasse a sua inclusão, pois muitas não incluem pessoas com mais idade, porque estas geram um custo maior para o plano médico, considerando que a utilização tende a aumentar conforme a idade.

O Sindicato atua sempre no interesse coletivo. A cobrança no preço médio, além de permitir que os servidores de todas as idades tenham acesso a um plano de saúde, protege também o futuro dos mais jovens. Isso porque, ao longo do tempo, o valor saltaria conforme a idade e, consequentemente, teriam um custo inviável.

Preço médio significa que todos os servidores – independente da idade ou da faixa salarial – pagam o mesmo valor no plano de saúde (R$ 342,11 na Unimed, e R$ 358,20 na Policlin). O que varia é o subsídio que a Prefeitura repassa de acordo com a faixa salarial de cada servidor. O preço médio já é praticado desde 2013 e sempre é explicado aos servidores no momento da adesão.

Mesmo assim, os valores pagos pelos mais jovens também estão abaixo de mercado, como podemos conferir na tabela de preço pago pelo servidor. Confira:

*Os valores da Policlin poderão sofrer queda, pois o Sindicato entrou com uma ação na justiça, com pedido liminar, por conta do aumento abusivo aplicado no contrato. A decisão da justiça deverá sair ainda este mês de junho.

Percebe-se que os valores pagos pelos servidores não têm por base sua idade, mas sim pela faixa de salário, visando ampliar o acesso aos servidores que ganham o piso da Prefeitura.
Dessa forma, o Sindicato tem muito orgulho do trabalho que realiza, uma vez que o preço médio tem uma vocação social muito importante na inclusão dos menos favorecidos.

Ressaltamos que não existe a menor possibilidade de comparação entre qualquer tabela por faixa de idade com o preço médio por faixa salarial praticado pelo Sindicato e formulado após estudo técnico atuarial.

ENTENDA O MOTIVO DA DIVULGAÇÃO DA TABELA POR PARTE DA POLICLIN

Em fevereiro de 2017, a Policlin enviou ao Sindicato a rescisão contratual unilateral. Ou seja, todos os servidores que utilizam esse plano ficariam sem cobertura.

Diante dessa situação, o Sindicato ingressou na justiça e conquistou uma liminar garantindo a continuidade do contrato e da prestação de serviço. Essa conquista foi muito importante, porque muitos servidores estavam com cirurgias marcadas, partos agendados, além de todo atendimento de rotina.

Posteriormente, a Policlin divulgou uma tabela, informando que aqueles seriam os valores cobrados do Sindicato. O objetivo era confundir os servidores. Essa atitude foi motivada em represália ao Sindicato, após conquista judicial contra a rescisão contratual.

Em seguida, a Policlin enviou um reajuste abusivo de 35,17% ao Sindicato, também com o intuito de trazer transtornos aos servidores. Novamente a entidade acionou a justiça, tendo em vista que o reajuste foi abusivo, deixando a cargo do Judiciário definir o reajuste do plano de saúde dos funcionários municipais.

As atitudes da Policlin visam confundir os servidores e jogá-los contra a entidade que os defendem. A operadora tem ciência que o Sindicato tem força de representação e não permite que os servidores sejam prejudicados e seus direitos cerceados.

Na Unitau, por exemplo, o contrato foi rescindido do dia pra noite. Os servidores foram surpreendidos quando tentaram usar os serviços médicos, inclusive Pronto Socorro, e tiveram o atendimento negado. O intuito da Policlin era fazer o mesmo com os servidores da Prefeitura ao rescindir o contrato de forma unilateral, entretanto o Sindicato não permitiu que isso acontecesse.

Artigo anteriorDesacatar funcionário público continua a ser crime
Próximo artigoNotícias falsas têm atrapalhado atendimento de serviços públicos